Dominic no programa This Morning

Dominic Cooper esteve hoje no programa This Morning falando sobre a peça The Libertine e a série Preacher. Confira a entrevista abaixo (sem legenda):



Video: Late Night with Seth Meyers

Dominic Cooper esteve ontem no programa Late Night with Seth Meyers. Confira um trecho da entrevista (sem legenda):



Q&A com Dominic Cooper

A entrevista foi originalmente postada no site da AMC e a tradução abaixo foi feita pelo site monsterbrain.com.br.

O que o atraiu para esse projeto? Você conhecia as histórias em quadrinhos antes disso?

Dominic Cooper: Esse script foi um dos scripts mais comentados durante a época de pilotos, e eu consegui colocar as mãos nele na casa de um amigo. Eu só queria ter algum envolvimento com isso. Eu realmente achei que foi a melhor coisa que eu li em um bom tempo. Eu ainda não tinha um muito conhecimento sobre os quadrinhos. Se você não conhece Preacher e alguém te descreve um menino com uma cara de cu, um homem que está tendo relações sexuais com carnes e várias outras coisas, você realmente não sabe o que fazer ou dizer. [Risos] Foi uma das melhores reuniões que já tive e eu curti muito isso. Eles sentiam que eu era o cara certo para o papel, e depois de ver o entusiasmo deles e ter lido o primeiro roteiro, eu li todos os volumes dos quadrinhos de ponta a ponta rapidamente. Eu estava desesperado para fazer parte daquilo. Foi a visão deles e o quanto eles queriam que aquilo desse certo que fizeram com que eu me entusiasmasse.

O que você gosta sobre o Jesse?

Dominic Cooper: Eu acho que quanto mais eu aprendo sobre ele e o seu passado, torna-se mais evidente que ele está em busca de: Ele está desesperadamente à procura dessa coisa, essa voz que está desaparecida. Nós o descobrimos em um lugar obscuro, danificado, e ele está tentando desesperadamente se segurar a uma ideia de felicidade. Ele é um homem que se lembra do lugar de onde veio e a promessa que tinha feito ao seu pai, e ele vai voltar por isso. Ele vai voltar a fazer o que acha que seu pai iria querer que ele fizesse, que é ajudar e cuidar dessas pessoas que caíram em pedaços.

Mesmo assim, outros personagens questionam o motivo pelo qual Jesse voltou. Em sua mente e seu coração, qual é a verdadeira resposta?

Dominic Cooper: Ele mesmo está se perguntando isso. No final do episódio piloto, ele meio que desiste e pensa algo como: “Nós somos o que somos. Você não pode mudar. Talvez isso seja o que Deus quer que eu seja”. Ele faz uma tentativa bastante patética de cuidar desta congregação e ser o homem que quer ser – ou o homem que seu pai queria que ele fosse. Ele sabe que está tentando o máximo para evitar uma vida de crime, mas tem que acreditar que é por isso que ele retorna e é isso que está determinado a fazer.

Jesse tem alguns lados obscuros, mas ao mesmo tempo é um reverendo tentando fazer o bem. Como é equilibrar essas duas partes do mesmo homem?

Dominic Cooper: Eu acho que é uma batalha constante e torna-se ainda maior quando esta entidade torna-se parte dele. Penso que a razão pela qual ela pode existir dentro dele é porque ele, obviamente, já tem esta dupla personalidade de qualquer maneira. É por isso que ela pode residir em um homem que é capaz tanto do bem quanto o mal. Ele é realmente um homem de fé, ele sabe o que é certo, mas é sempre uma luta para ele.

Como foi filmar todas as cenas de luta e os cenários grandiosos?

Dominic Cooper: Eu amei fazê-las. Tínhamos esse coreógrafo de luta realmente ótimo trabalhando conosco e ele criou algumas sequências de luta realmente muito diferentes. Elas estão sempre mudando por conta da natureza de onde você está, o espaço físico e sua iluminação. Você apenas tem que se adaptar a isso. O que ajuda é, se as pessoas que criaram essas sequências, as criaram para que fizessem sentido. Se há uma razão por trás de cada movimento, então eles são mais fáceis de seguir e aprender. Quando você está lutando por uma questão de simplesmente incluir a violência, então pode ser muito difícil realiza-la.

Por que as pessoas que são naturalmente atraídas em direção ao caos e aos problemas – como Cassidy e Tulipa, por exemplo – também são naturalmente atraídas ao Jesse?

Dominic Cooper: Uma vez que você tenha ido para esse lado, as pessoas em torno de você não te enxergam como outra coisa. Eu acho que eles consideram ameaçador você estar tentando mudar e muitas vezes são as pessoas ao seu redor que menos te apoiam e ajudam. Eles podem arrastá-lo de volta para as profundezas do desespero onde você já se encontrava. Acho que isso é o que está acontecendo. Mais tarde, torna-se evidente o porquê Tulipa está tão desesperada por ele ser uma parte desse mundo de novo.

Jesse tem um monte de espinhos ao seu redor. Quem você acha que é o pior: Tulipa, Cassidy ou Eugene?

Dominic Cooper: Todos eles são. Eu acho que Eugene é brilhante, porque ele expõe tudo o que Jesse está tentando tanto entender e avaliar. Eugene expõe as coisas das quais ele está realmente se afastando. Jesse tem certa dificuldade em compreender isso. Ele quer ajudar essa criança, mesmo que esse garoto tenha feito coisas terríveis a si mesmo. Jesse realmente não sabe como lidar com isso. Ele não está preparado e não aprendeu como fazer isso. É ridículo se você pensar sobre o objetivo que ele tentava alcançar no momento em que voltou para a cidade.

O que você está mais animado para que os fãs vejam na jornada de Jesse?

Dominic Cooper: Como temos retratado o lado obscuro dele e o que ele é capaz de fazer, sentindo muito pouco remorso é bastante assustador. Eu acho que é uma grande surpresa.

 








Image00004~71.JPG
Image00003~80.JPG
Image00002~81.JPG
Image00001~85.JPG
Image00020~15.JPG
Image00019~15.JPG
Image00018~15.JPG
Image00017~16.JPG
Image00016~15.JPG
Image00015~17.JPG
Image00014~22.JPG
Image00013~23.JPG